quarta-feira, 10 de dezembro de 2014

Rosário Tijeras

Gosto de me aventurar em livrarias arriscando comprar um livro de um autor sobre o qual nunca ouvi falar. Deixar o livro me escolher e não o contrário. Quando me perguntam como eu faço isso, eu não sei o que responder. Intuição, talvez. Na maioria das vezes dá certo. Na maioria. Nunca tinha ouvido falar de Jorge Franco, mas a sinopse me pareceu interessante e, bom, tinha uma recomendação de Gabo na contra-capa.... Não me arrependi em nada de ter lido Rosário Tijeras, e fiquei com vontade de ler mais livros do autor.

Rosário Tijeras tem todos os elementos, não do realismo fantástico de Gabo, mas do realismo das favelas da Colômbia. O enredo conta a história de Rosário Tijeras (que em espanhol que dizer tesouras), uma mulher sedutora e perigosa, altamente passional, que teve sua infância destruída na vida cruel e brutal da periferia. Para sobreviver, Rosário aprende a se defender com a mesma violência do ambiente que a cerca.

Mas Rosário também é perigosa por enfeitiçar os homens com sua beleza, sua impulsividade, sua força. A "heroína" da história foge a todos os arquétipos: usa droga, se prostitui, mata muitas pessoas e se torna uma lenda. Mas tudo isso ganha um brilho especial ao ser contado através dos olhos apaixonados de Antonio, melhor amigo de Rosário e de Emílio (namorado de Rosário). É através dos olhos de Antonio que conseguimos ver, mesmo em meio a tanto caos e a uma narrativa tão intensa, a menina sofrida que é Rosário, fruto de um mundo que não lhe oferece muitas expectativas e repleto de violência, mas que também ama à sua maneira, e que sonha com uma vida melhor.

A história de Rosario é a história de Antonio, de seu amor por essa mulher que só o via como um amigo. É a história triste dos amores não correspondidos e dos estragos que eles deixam nos corações. Isso é muito bem retratado neste romance contemporâneo do colombiano Jorge Franco.

Gabriel Garcia Marquez disse que "Jorge Franco é um dos escritores colombianos para quem ele gostaria de passar a torcha". O que é um grande elogio. Não acho que ele seja um Gabo, talvez seja possível compará-lo com Gabo quanto à intensidade e a paixão dos personagens. Mas ele é certamente um grande escritor. Com uma narrativa muito envolvente, apesar de tratar de temas que tornariam qualquer romance muito "pesado" como assassinatos, drogas, prostituição, estupro etc, o amor de Antonio por Rosário "amortece" nossos olhares. Espere encontrar no livro muitos palavrões, usados para caracterizar o linguajar desse submundo. Mas espere encontrar também descrições românticas dessa paixão de Antônio por Rosário, paixão dessas de entregar a alma ao objeto desse amor.

FRANCO, Jorge. Rosário Tijeras. Rio de Janeiro: Objetiva, 2007. 160 páginas.

6 comentários:

Flávia disse...

Primeiro quero dizer que amei o novo layout do seu blog. Apesar de não te conhecer pessoalmente achei que é a sua cara, ou seja, a sua essência aqui no blog. Gostei muito da sua resenha, mais um livro que vou colocar na minha lista de querências. Tomara que sua intuição continue te levando cada vez mais para descobertas como essa. Se não passar mais por aqui, desejo que seu 2015 seja repleto de grandes leituras, descobertas e que seus projetos tenham muito sucesso. Um grande beijo!

Pipa disse...

Ei, Flávia!

Muito obrigada! Fico feliz que todos estão gostando das mudanças no blog e pessoas bem próximas disseram que a Anna Cunha conseguiu mesmo capturar a ideia, e olhe que eu também não a conheço pessoalmente :)
Feliz natal pra você e que 2015 seja lindo para todos nós!
beijo,
Pipa

Tati disse...

O blog tá maravilhoso Pipa, lindo :)
Quanto ao livro, fiquei curiosíssima! Também faço isso de escolher livros aleatoriamente e raramente me arrependo. E com essa capa, essa sinopse e indicação, realmente difícil resistir!
Beijo enorme!

Pipa disse...

Obrigada, Tati! :)
Eu gostei muito desse livro, é intenso!
um beijo,
Pipa

Aline Aimée disse...

Que banner perfeito esse novo!
A resenha me instigou, o livro parece muito interessante.

Beijinhos!

Vanessa Monteiro disse...

Nunca tive coragem de fazer isso. Mas vou tentar a partir de agora. Quem sabe não encontro surpresas legais?
Adorei a narrativa, já incluí na lista de leitura!