quarta-feira, 13 de janeiro de 2016

O médico e o monstro: O estranho caso do dr. Jekyll e sr.Hyde



Escrito em 1885, O estranho caso do dr Jekyll e sr. Hyde é um dos grandes clássicos da literatura gótica inglesa. Ambientado em Londres, O médico e o monstro, como também ficou conhecido, narra a história do dr; Jekyll, um respeitado médico e cientista e um indivíduo muito esquisito, o sr. Hyde., que passa a frequentar a casa do renomado dr. Jekyll e que tem um comportamento violento e agressivo. Certa noite, o sr. Hyde comete um crime e tanto a polícia quanto os amigos próximos do dr. Jekyll passam a procurá-lo e a tentar desvendar qual a relação que o une ao médico. Os amigos suspeitam de uma chantagem, pois o dr. Jekyll deixa toda a sua fortuna em testamento para o sr. Hyde, caso algo aconteça com ele. A narrativa se desenvolve como uma boa história detetivesca, prendendo a atenção até do leitor até o fim. [Se você não gosta de spoilers, este é o momento de parar de ler a resenha :) ]

Enquanto o dr. Jekyll vive uma vida pacata, sua curiosidade acerca da natureza humana e seu inconsciente fazem com que ele elabore uma fórmula capaz de separar o bem e o mal que habitam todo ser humano. Ao tomar a fórmula por ele elaborada, dr. Jekyll se transforma no sr. Hyde (Hyde refere-se a hide em inglês, que significa esconder, ocultar), um homem perverso e violento, que representa o seu lado do mal, a sua sombra, o seu duplo. Cada vez que toma a fórmula, acontece essa transformação que permite que Jekyll, através do corpo do sr. Hyde, consiga expressar seus sentimentos mais mundanos, sem nenhum remorso ou consciência de que faz algo errado. Hyde representa a total liberdade, onde não há moral nem ética, apenas os impulsos mais animalescos. Nesse sentido, o romance é  uma reflexão sobre a dualidade do homem, ou seja, bem e mal coexistem em todo ser humano, assim como uma reflexão interessante sobre consciente e inconsciente, id e ego, e tudo o que nos impede de nos tornarmos monstros. 

Com o tempo, a fórmula precisa de uma dosagem cada vez maior para fazer efeito, e o dr. Jekyll sente que a cada dia o lado sombrio fica mais forte, passando a se apossar de sua personalidade quando deseja, enquanto o médico fica cada vez mais fraco. Até o dia em que a fórmula acaba e não pode mais ser preparada (não se encontram mais os mesmos ingredientes) e o grande mistério que envolvem Jekyll e Hyde finalmente é revelado para os amigos. Um texto curto e muito envolvente, que mostra o que torna uma obra universal: mesmo tanto tempo depois é uma história que permite reflexões atuais e garante o mesmo prazer durante a leitura.

2 comentários:

José Henrique disse...

Amo livros que tratam sobre esta questão do bem e do mal, e dia uma forma bem reflexiva. Eu já ouvi falar muito bem deste livro, mas nunca li ele. Eu acho que ouvi falar de um filme baseado neste livro, não sei se é verdade.
E agora estou pensando, como seria um mundo sem ética, sem moral. Seria uma anarquia total!

www.literaturasobria.com.br

Beijos, até mais!

Maura C. Parvatis disse...

Senti uma dificuldade no começo mas depois fiquei presa à narrativa de uma forma intensa! Gostei!
:)