segunda-feira, 4 de novembro de 2013

A Solidão dos Números Primos

Com um dos títulos mais bonitos já vistos, A Solidão dos Números Primos, do escritor italiano Paolo Giordano, foi uma grande descoberta. Intenso, verdadeiro e, em muitos momentos, extremamente doloroso de ler, tal sua veracidade, o livro faz uma reflexão sobre as diferenças, sobre a solidão, sobre as relações familiares (e os problemas que encontramos nelas) e sobre muitos conflitos da nossa juventude.

Contando a história de Mattia e Alice, duas crianças desde a infância marcadas por suas diferenças, acompanhamos a passagem dos dois pela adolescência, com todas as dificuldades, encontros e desencontros, até sua vida adulta. Nesse percurso o que chama a atenção são as relações familiares, os problemas de comunicação entre as pessoas de uma mesma família e o quanto isso será determinante para a formação de cada indivíduo. O autor nos mostra como nossos erros e nossas escolhas deixam marcas em nós por toda a vida.

Alice é uma menina oprimida que tem distúrbios alimentares e frequenta aulas de esqui. O detalhe mais importante é que Alice não quer aprender a esquiar, ela só frequenta as aulas porque é obrigada pelo pai. Durante um dos treinos, Alice sofre um acidente que a deixa com uma deficiência permanente na perna.

Mattia tem uma inteligência rara, enquanto sua irmã gêmea tem uma doença mental, da qual ele se envergonha. Um dia, indo para o aniversário de um amigo da escola, levando a irmã junto com ele apenas porque sua mãe o obrigava, Mattia deixa a irmã em uma praça e segue para o aniversário, porque queria ser aceito pelo grupo de colegas pelo menos uma vez, mas sua irmã desaparece, e esse fato marcará sua vida para sempre.

Em suas diferenças, Mattia e Alice se reconhecerão em sua solidão, e são muitos os encontros e desencontros que permearão a história dos dois durante todo o livro, numa avalanche de aspectos psicológicos muito bem explorados pelo autor, mas que deixam o leitor quase sempre com o coração apertado, sofrendo pelos personagens. 

Mattia tinha estudado que entre os números primos existem alguns ainda mais especiais. Os matemáticos os chamam de primos gêmeos: são casais de números primos que estão lado a lado, ou melhor, quase vizinhos, porque entre eles sempre há um número par, que os impede de tocar-se verdadeiramente. Mattia achava que ele e Alice eram assim, dois primos gêmeos sós e perdidos, próximos, mas não o bastante para se tocar de verdade”.

Este é sem dúvida um livro com personagens extremamente complexos que nos levam a refletir sobre várias questões, não só sobre as relações familiares, mas sobre a juventude nos dias de hoje e todas as dificuldades que ela enfrenta. E o livro nos mostra o quanto o ser humano pode ser cruel com o simples fato de ficar em silêncio. É um livro que recomendo não apenas para os jovens, mas para os pais de todas as idades, porque às vezes ver no outro o nosso erro é uma forma de reconhecê-lo, e acompanhar o doloroso desenvolvimento desses personagens acaba por ser uma grande lição de como relacionar-se com o outro, de como ser mais humano diante de nossas imperfeições e diferenças.

Eu ainda estou torcendo por Mattia e Alice. E tenho certeza de que você terminará de ler este livro torcendo por eles também.

Paolo Giordano. A solidão dos números primos. Rio de Janeiro: Rocco, 2009.
***
Paolo Giordano nasceu eu Turim em 1982. Formou-se em Física e ganhou o Prêmio Strega 2009 por este romance de estreia.

7 comentários:

Michelle disse...

Vi a notificação de sua postagem no FB e corri para ler, já que esse livro é um dos meus preferidos. É tão bonito e absurdamente triste, né? Tem o filme também, já viu? Recomendo.
Falei de ambos lá no blog já há algum tempo: http://resumodopera.blogspot.com.br/2011/10/leia-o-livro-veja-o-filme-solidao-dos.html
Beijo!

Pipa disse...

Oi, Michelle!

Também amo esse livro, ele foi lido há um tempo já, mas acho que ando nostálgica desses livros que nos emocionam tanto :) Hoje senti vontade de relembrar essa história. Ainda não consegui encontrar o filme dele, mas quero muito ver. Bom saber que compartilhamos um livro querido em comum :)

beijo!

Pipa

lualimaverde disse...

Oi, Pipa! Você me deixou com muita vontade de ler esse livro. Pelo jeito tem tudo pra que eu goste, vai pra minha lista do próximo ano (já que esse ano não vou dar mais conta de quase nada, rs). Beijinho!

Pipa disse...

Lua, querida, acho que você vai gostar muito desse livro, eu recomendo a leitura sim :)

beijos,

Pipa

Elas Leram disse...

Oi!
Achei seu blog ao acaso e este post me chamou a atenção por ser um livro maravilhoso. Sim, um título lindo com uma narrativa inesquecível que me emocionou em vários momentos. Cheguei a postar sobre ele há um tempo atrás.

http://elasleram.blogspot.com.br/2012/12/a-solidao-dos-numeros-primos-paolo.html

Algoritmo para calcular números primos em Java disse...

Parece um livro bem bacana !

Laura Ferreira disse...

Um dos mais belos livros que já li...